®

A história da PEPSI® no Brasil começa a ser escrita em uma das viagens de Heitor Pires aos Estados Unidos, em 1950. Durante essa passagem pela América do Norte, ele experimentou pela primeira vez e aprovou a PEPSI-COLA®. Um refrigerante inventado pelo farmacêutico Caled Bradhan, em 1893, no estado da Carolina do Norte, sob o nome de Brad's Drink, que passou a chamar-se PEPSI-COLA® em 1898. Entusiasmado com a bebida, Heitor Pires decidiu que iria trazê-la para o Rio Grande do Sul***(informação incorreta! ver no final do texto a correção)***, sob o pretexto de que os gaúchos precisavam "de um refrigerante que amenizasse os efeitos funestos das bebidas alcoólicas".

De volta ao Brasil, elaborou uma estratégia para executar seu plano. Revelando-se um excelente homem de marketing, traçou os passos a serem seguidos para implantação da primeira fábrica de PEPSI-COLA® do Brasil. Sua primeira iniciativa foi registrar, em 02 de fevereiro de 1952, a Refrigerantes Sul Rio-grandense S/A, com sede na avenida Praia de Belas, 1.244. Faltava entretanto, o capital para montar o negócio.

Para isso envolveu mais uma vez toda a colônia portuguesa que atuava no comércio, não apenas em Porto Alegre. Reuniu também portugueses de Pelotas e Rio Grande. Convidou amigos e a todos ofereceu ações da empresa. Ao final das investidas, alcançou um capital de 6 milhões de cruzeiros através de 81 acionistas.

A segunda etapa era conhecer os métodos de fabricação do produto. Viajou então para o Canadá, onde conheceu os mais modernos equipamentos de fabricação de refrigerantes. Encomendou a maioria das máquinas da Alemanha, com exceção de uma. Apesar da dificuldade do transporte e demora da viagem de mais de 3 mil quilômetros de distância, que durou 15 dias, Heitor Pires mandou trazer da Bahia uma das máquinas de grande porte.

A inauguração da fábrica foi um grande evento para Porto Alegre. Uma semana antes começaram a circular nos maiores jornais da cidade "teasers" anunciando a chegada de um produto. Este tipo de propaganda, pouco utilizada na época, construía aos poucos o logotipo do novo produto e despertava a curiosidade dos gaúchos com frases do tipo: "Adivinhe o que é"? No quarto dia consecutivo, o refrigerante foi revelado e lançou-se o slogan: "Melhor Qualidade, Maior Quantidade e Menor Preço". A PEPSI-COLA® foi lançada em uma garrafa de dez onças (284ml), maior que a da COCA-COLA®, que era de 6,5 onças (192 ml).

Finalmente no dia 03 de março de 1953, foi inaugurada a primeira fábrica de PEPSI-COLA® do Brasil. Foram convidadas para a festa pessoas de todas as classes sociais. Estavam presentes representantes do mundo civil, eclesiástico, militar e também das classes populares, além dos acionistas. Durante a solenidade, PEPSI-COLA® foi oferecida nas mais variadas combinações: PEPSI® com gin, com rum, e até com aguardente. No decorrer da festa, Heitor Pires, diretor-presidente da empresa, disse em seu discurso: "Estamos absolutamente certos de que o Rio Grande fará da PEPSI-COLA o seu refrigerante".

No dia seguinte os jornais estampavam em suas capas a grande procura por PEPSI-COLA® nos postos de venda:

"Tão grande e imprevisível tem sido a procura por PEPSI-COLA em todos os recantos da cidade que nas primeiras horas da manhã de quarta-feira, primeiro dia de vendas (04/03), já não se encontrava uma garrafa de PEPSI-COLA gelada, pois esgotara-se a capacidade de refrigeração face à demanda, embora nunca se houvesse feito na cidade tão grande distribuição de refrigerante de uma só marca" (Correio do Povo - 05/03).

Três dias após o lançamento da bebida, o Correio do Povo® destacava:

" O consumidor tem sentido, no seu sabor suave e agradável, na sua qualidade e na quantidade maior pelo mesmo preço dos demais refrigerantes, as suas vantagens como refrigerante essencialmente popular".

Com exceção das garrafas, que eram feitas em Canoas, região metropolitana de Porto Alegre, a Refrigerantes Sul Rio-grandense S/A fabricava tudo: as tampinhas, os cartazes, os painéis e os luminosos que eram distribuídos gratuitamente aos comerciantes e até a pintura. Era a primeira vez que um refrigerante tinha rotulado a cor no próprio vidro, um processo chamado litografia, que era feito pela Decoravit - Decoração Vítria S/A, pertencente aos acionistas da PEPSI®. A única parte do produto, além da garrafa, que Heitor Pires jamais produziu foi a fórmula original da PEPSI-COLA®. A PEPSI internacional® mantinha uma fábrica do concentrado em Porto Alegre, na rua Oswaldo Cruz, no caminho do meio (hoje Avenida Oswaldo Aranha). O trabalho da empresa gaúcha era misturar o concentrado que vinha pronto com água e açúcar, dando-lhe o gosto da PEPSI-COLA®.


*** Segundo sua secretária particular Jurassy Wagner (que infelizmente, não foi entrevistada na época da pesquisa para a criação deste livro), meu avô NÃO decidiu trazer a Pepsi para o Brasil, na viagem que fêz aos EUA, em 1950. Ele foi procurado sim, em 1951 (qdo. de passagem pelo Rio de Janeiro), por 2 americanos ligados a Pepsi CO. (EUA) e estes lhe fizeram o convite para inaugurar a 1º fábrica da Pepsi no Brasil, no Sul do país, pois era lá que ele residia e já tinha uma consagrada banca de advocacia, sendo muito admirado por toda a côlonia portuguesa, radicada no Rio Grande do Sul.


© COPYRIGHT 2017 - Webmaster - Fernando Basto